• GPE

IRAMAIA E CAETITÉ: O ANO DE 2021 E A VACINA

Em pesquisas realizadas em dezembro deste ano, em Iramaia (9 e 10 de dezembro, 403 pessoas ouvidas, erro amostral de 5%) e Caetité (12 a 14 de dezembro, 401 pessoas ouvidas), municípios do Centro-Sul do estado da Bahia, foram abordadas questões sobre a percepção de 2021 e posição quanto à vacina contra o Novo Corona Vírus. Pesquisas estratificadas por área física, por sexo e faixas de idade foi realizada presencialmente.


A seguir, resultados dessas questões nas duas pesquisas.


IRAMAIA: o ano de 2021 e a vacina

Iramaia. Percepção sobre o ano de 2021

Iramaia. Expectativa em relação à eventual vacina contra o Novo Corona Vírus


CAETITÉ: o ano de 2021 e a vacina

Caetité. Expectativa do ano de 2021 sobre a pandemia

Caetité. Expectativa em relação à eventual vacina contra o Novo Corona Vírus

SOBRE O ANO DE 2021 E SOBRE A VACINA


Sobre o significado do ano de 2021 que se avizinha.


Para os cidadãos de Iramaia, a esperança de um ano normal supera a metade: aproximadamente 53% contra 37% que acreditam que será a continuação desse ano de 2020.


E para os cidadãos de Caetité, a esperança de um ano não alcança a metade: aproximadamente 46% contra 40% que acreditam que será a continuação desse ano.


SOBRE A VACINA CONTRA O NOVO CORONAVÍRUS


Sobre a receptividade de uma vacina contra o Novo Corona Vírus.


Perguntamos: “Caso vacinas contra o Novo Corona Vírus estejam disponíveis, você tomaria ....”


A essa questão, em Iramaia, 75,4% disseram “Sim”. Outros 18,4% disseram “Não”. E 6,2% não opinaram.

E os cidadãos de Caetité, a essa questão, 69,3% disseram “Sim”. Aproximadamente 18,4% disseram “Não”. E outros 12,2% não opinaram.

Na percepção dos cidadãos de Iramaia e de Caetité, Centro-Sul do estado da Bahia, 2021 deverá caminhar para a normalidade numa proporção levemente maior do que os que acreditam que será continuação de 2020, por sinal, percentuais expressivos, em ambos os municípios. Ainda que seja expressiva a desesperança, nesses municípios, a confiança na volta da normalidade e no fim da pandemia é maior do que a sua continuidade.


Quanto à vacina, a aceitação está bastante alta, 75% em Iramaia e 69% em Caetité, e a não aceitação de 18% em ambos os municípios. Ou seja, aproximadamente um quinto dos entrevistados não se mostraram receptivos a uma vacina contra o Novo Corona Vírus. Esse percentual de recusa, considerando a evolução da Ciência, parece expressivo. Revelam a força no negacionismo e do pensamento anticientífico, ou pelo menos, da postura antivacinas.


Possivelmente, esses dados expressam o profundo desejo de volta à normalidade, a necessidade de acreditar em tempos melhores, apesar das sinalizações e das dúvidas e incertezas pairando no ar.


Agenor Gasparetto

Sociólogo


Itabuna, 15 de dezembro de 2020.

9 visualizações0 comentário